Administração

Aprenda a lidar com condôminos inadimplentes de uma vez por todas!

Aprenda a lidar com condôminos inadimplentes de uma vez por todas!

Publicado em 20 de Outubro de 2017
Tempo de leitura:

Manter as contas em dia é um dos maiores desafios dos condomínios. Muitas vezes, não basta apenas seguir o planejamento orçamentário para manter as finanças no cronograma estabelecido, o síndico ainda enfrenta problemas como a falta de receita para arcar com as despesas do prédio.

Fazer uma boa gestão financeira pode ser complicado para o síndico caso enfrente a situação de ter condôminos inadimplentes, por exemplo. Os motivos pelos quais as pessoas permitem que isso aconteça são tão variados quanto às consequências que a inadimplência pode trazer para a rotina de um condomínio.

Para te ajudar a evitar os impactos dessas dívidas na gestão condominial, separamos neste post algumas atitudes que o síndico pode tomar para enfrentar o desafio de lidar com condôminos inadimplentes. Então, atente-se a esse post!

Conheça os impactos da inadimplência

Eventuais atrasos na arrecadação poderão comprometer serviços essenciais do condomínio, como: pagamento de funcionários, contas de consumo, manutenções preventivas, aquisição de materiais, etc.; esses fatores prejudicam o conforto da massa condominial, pois o ambiente coletivo sofrerá desgastes e eventuais impedimentos para utilização de importantes equipamentos.

A falta de dinheiro para cumprir com os compromissos pode prejudicar a gestão condominial, pois eventuais dívidas poderão gerar negativação do CNPJ do condomínio, acarretando no distanciamento de empresas fornecedoras de materiais e serviços.

Imaginem a ausência da manutenção de algum equipamento, como por exemplo o motor de um portão: caso não seja feita a inspeção preventiva periódica por um profissional especializado, algum problema pontual pode deixar de ser detectado, causando o comprometimento de um serviço essencial para a segurança do empreendimento.

Dessa forma, pequenas despesas ignoradas por falta de recursos podem, mais tarde, se tornar outras bem maiores.

Além de toda essa problemática com o desenvolvimento de gastos atrás de gastos, o negligenciamento das áreas comuns por bagunça nas finanças pode causar desvalorização no patrimônio dos proprietários.

Divulgue a lei sobre inadimplência

No Código Civil o artigo 1.336 se ocupa em relatar os deveres dos condôminos, o qual deixa bem claro as obrigações com a contribuição de cada um nas despesas.

No primeiro parágrafo desse artigo são descritos os custos acarretados no atraso e não pagamento das taxas a não contribuição sujeita o inadimplente a juros moratórios acordados e estabelecidos na convenção, e caso não sejam previstos, os juros podem ser de 1% ao mês e multa de até 2% em cima do débito.

Desta forma, como a lei é bem contundente, é interessante que o síndico faça a divulgação aos stakeholders, ou seja, aos condôminos interessados, e exclusivamente a estes, através de demonstrativos mensais e/ou em assembleias com itens que envolvam a prestação de contas do condomínio. Por meio disso, a consciência das implicações consequentes ao atraso nas taxas condominiais passa a ser mais disseminada por todos, tornando a obrigatoriedade do pagamento até o vencimento, uma relação de responsabilidade social.

Tome cuidado ao comunicar dívidas

Uma das obrigações do síndico é prestar contas para todos os condôminos a respeito da situação financeira, até o esclarecimento dos porquês de alguns problemas estarem ocorrendo na rotina do prédio, como a falta de algum serviço ou a redução da disponibilidade de algum material.

Contudo, é importante que essa atividade seja feita com cautela, principalmente quando as contas estiverem sendo influenciadas por falta de contribuições condominiais que não estão sendo saldadas.

A comunicação de que o coletivo está sendo prejudicado pela falta de compromisso de alguns exige muito tato. Muitas vezes as pessoas adimplentes requerem ficar a par da situação, pois estão em dia com seus deveres. Sendo assim, o administrador deve relatar o peso da falta de entrada de dinheiro, e ao mesmo tempo ter a precaução de não colocar uns contra os outros.

Em muitos lugares, é feita a divulgação de uma lista de inadimplentes, que pode ser polêmica e ter suas finalidades desviadas se expor muito o devedor. Para isso, no caso de existir essa lista, é importante que ela contenha apenas o número do imóvel devedor em vez de conter o nome de quem deve. E uma boa dica é colocar essa lista junto com a cobrança mensal do condomínio, comumente chamada de: Demonstrativo Financeiro Mensal.

Faça acordos da melhor forma possível

Uma das formas de enfrentar o furo nas contas é a busca de acordos com os devedores, sendo o parcelamento de dívidas, o mais comum, por ajudar quem quer pagar a fazê-lo de uma maneira que não prejudique tanto as finanças pessoais.

Contudo, há algumas considerações a serem feitas na hora de firmar um acordo. Uma delas é que o síndico não pode diminuir o valor da dívida e nem perdoar os juros e multas que correram até o dia do acordo, salvo se uma decisão em assembleia determine o cancelamento ou redução de parte dos juros para seguir com o orçamento em azul.

Lembre que o condomínio não é instituição financeira, assim é prudente que o acordo não tenha longo prazo, até mesmo para não influenciar na formação de novos devedores. É fato ressaltar que juros e multa aplicados a cotas condominiais são inferiores a taxas e remunerações de empréstimos bancários, assim não pode o condomínio prejudicar os que pagam pontualmente, e fazer longos parcelamentos com os inadimplentes.

Procure alternativas antes que as dívidas aumentem

Uma ótima forma de conseguir diminuir a inadimplência é criar eventos para a discussão de tipos de acordos que podem ser feitos, para que os condôminos fiquem cientes de que há alternativas para acabar com o problema e sair da situação de inadimplente.

Também podem ser organizadas reuniões individuais com as pessoas nessa situação, e estas têm a possibilidade de ocorrer até mesmo na empresa contratada para fazer a cobrança dos inadimplentes.

Contrate o serviço de: Arrecadação Garantida

Outra maneira de fugir das consequências que condôminos inadimplentes podem causar é trabalhar com o chamado "Condomínio Garantido". Essa opção garante o recebimento de 100% das receitas programadas, não deixando que uma pessoa ou mais prejudique o fluxo de caixa do condomínio. Seguem os maiores benefícios para este modelo de atuação:

- Arrecadação 100% do valor provisionado;

- Cobrança de inadimplentes por conta da contratada (administradora), sem incomodo ao síndico;

- Tranquilidade para executar o planejamento orçamentário;

- Fim dos transtornos causados pela inadimplência;

- Eliminação da antecipação das custas judiciais e despesas com honorários advocatícios ao condomínio.

Conclusão

Lidar com condôminos inadimplentes não é uma tarefa simples, porém, com essas dicas, esperamos que os resultados positivos apareçam rápido no lugar onde você mora.

Se gostou deste post, o que acha de compartilhá-lo nas suas redes sociais?

Comentários