Não é preciso ir muito longe para ver ao menos um condomínio em São Paulo. Essa forma de moradia é bastante conhecida entre os moradores da maior cidade do país e também tem ganhado popularidade no restante do Brasil. Tanto para síndicos quanto para condôminos, portanto, vale conhecer o mercado relacionado a essa moradia.

Ao entender como o setor de condomínios de São Paulo se compara ao Brasil, por exemplo, será fácil perceber a importância desses locais na cidade. Também é fundamental identificar as suas vantagens e saber como administrá-los corretamente. Para ter todas essas informações e muito mais, continue lendo!

Perfil do mercado de condomínios em São Paulo

Na maior cidade do país, os condomínios têm um perfil bastante específico. Entender as características é fundamental para analisar como o mercado atua e quais são as melhores oportunidades.

Além disso, reconhecer a forma de existência é necessário para ter uma ideia clara sobre questões como a gestão de condomínio. Nesse sentido, confira quais são alguns dos pontos importantes.

Concentração na capital

Quando se fala no estado de São Paulo, o número de empreendimentos residenciais é muito maior na capital. Isso acontece porque a cidade paulista é cosmopolita, diversa e, principalmente, conta com uma limitação de espaço.

A verticalização se torna a saída preferencial, e os condomínios surgem como uma forma de abrigar um número maior de pessoas sem ocupar tanto espaço. Acima de tudo, é um caminho para tentar reverter o déficit habitacional e aproveitar, da melhor maneira, o espaço limitado na maior cidade do país.

Centralização de serviços

Por falar em bom aproveitamento, o mercado de condomínios de São Paulo é marcado por uma importante característica: a presença de diversos serviços em um só lugar. Decidir morar em um empreendimento imobiliário do tipo não significa apenas encontrar um lar — muito pelo contrário.

Além da estrutura do prédio principal, é comum que haja uma série de serviços complementares. Um condomínio novo, por exemplo, normalmente conta com área de lazer completa, serviços diversos e até com um comércio interno.

A presença de estabelecimentos, que vão de locais de alimentação a academias, é um jeito de trazer praticidade aos moradores e maior funcionalidade condominial.

Busca por imóveis novos

A presença dessas áreas comuns e de características reforçadas leva à procura ampliada por imóveis novos. Mesmo que seja impossível que todos os condôminos paulistas estejam em prédios novos, há uma tendência crescente por esse tipo de imóvel.

Apesar de os antigos terem mais espaço nas unidades, falta a eles a infraestrutura necessária entre os muros. Dessa maneira, os imóveis novos recebem maior valorização e, em geral, uma procura elevada. Graças a essa característica, o número de lançamentos também tem aumentado, de modo a atender às exigências.

Opções que vão dos acessíveis aos luxuosos

Como São Paulo é uma cidade que abriga milhões de moradores, é natural que as pessoas tenham necessidades e possibilidades diferentes. Há quem possa investir muito na hora de morar, enquanto outras buscam opções econômicas.

Por isso, um dos pontos mais relevantes do mercado de condomínios da Terra da Garoa é que há alternativas para todos os gostos e bolsos, desde os locais com mais de 250 apartamentos econômicos até os prédios de luxo, com coberturas e serviços diferenciados.

Administração profissional

Hoje, os condomínios de São Paulo são mais complexos do que há algumas décadas. Os que têm serviços pay per use, ou seja, que oferecem atuação sob demanda, exigem uma administração muito precisa.

Mesmo os mais “simples” precisam de uma atividade diferenciada para manter tudo sob controle, das contas até os conflitos entre condôminos. Com isso, tem aumentado a tendência a adotar uma administração profissional.

Se, antigamente, o síndico agia de maneira quase amadora, hoje ele tem um papel indispensável. Por causa disso, os moradores paulistas que têm essa função procuram realizar uma administração profissional e bem capacitada.

Há uma preocupação com a legislação para condomínio, com a convivência, com o funcionamento e com a disponibilidade de recursos. Assim, é possível obter uma atuação saudável e consistente.

Os números em relação ao mercado de condomínios no Brasil

O mercado de condomínio em São Paulo é tão destacado que pode ser comparado com sucesso com o restante do Brasil. Ao analisar os números referentes a essa atuação, pode-se ter uma ideia bastante clara sobre a importância desse ramo para o país.

Além disso, a comparação é fundamental para compreender as possibilidades de expansão da área e a evolução ao longo do tempo. A seguir, veja alguns números relevantes:

Número de moradores

As mudanças no mercado mobiliário têm levado os brasileiros a novos imóveis, inclusive os condomínios. No Brasil, atualmente, mais de 68 milhões de brasileiros vivem em moradias do tipo nas diferentes cidades. Isso corresponde, em média, a 33% da população brasileira.

Em São Paulo, os números são parecidos. Aproximadamente, 37% dos paulistanos residem em condomínios. Nos últimos cinco anos, foram mais de 200 mil novos moradores nessas habitações.

PIB condominial

Graças ao grande volume de pessoas que moram em áreas condominiais, o PIB movimentado pelo setor é de R$ 165 bilhões, anualmente.

Já a cidade de São Paulo é responsável, sozinha, por um valor que flutua de R$ 7,8 bilhões a R$ 10 bilhões por ano. Para o futuro, a tendência é que o valor aumente, já que há a expectativa de crescimento de procura pelo setor.

Número de síndicos

Em todo o país, há mais de 420 mil síndicos que atuam para garantir o bom funcionamento dos ambientes. No estado de São Paulo, o número está em torno de 45 mil.

O valor é maior que a soma do número de síndicos do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, que são os outros três estados com maior população. Basicamente, 30% dos síndicos do Brasil atuam no estado de São Paulo.

Quanto aos síndicos profissionais, o resultado não é muito diferente. Ao total, são quase 22 mil profissionais do tipo no Brasil, dos quais mais de 7 mil estão no estado de São Paulo. Com isso, 35% dos síndicos profissionais do Brasil estão no estado paulista.

Taxa condominial

A grande procura por condomínios, as necessidades desses imóveis e o custo de vida na cidade de São Paulo influenciam o valor da taxa condominial. Em média, segundo matéria de 2017 do Correio Braziliense, o condomínio em São Paulo e em Brasília custa R$ 10,00 por metro quadrado.

O total varia de acordo com as áreas das cidades, e os bairros considerados nobres geralmente trazem um custo mais elevado.

Na média brasileira, estima-se que o valor seja de R$ 450,00. Contudo, em áreas de destaque, o valor fica maior. Em Brasília, por exemplo, a média é de R$ 490,00.

Idade dos síndicos

Até pouco tempo atrás, a maior parte dos síndicos tinha acima de 50 anos. Essa atuação, por vezes, era voltada para pessoas mais experientes, muitas vezes aposentadas e que moravam há muitos anos no prédio.

Mas isso tem mudado. Levantamentos demonstram que pessoas entre 27 e 39 anos têm se mostrado dispostas a atuar para garantir uma administração condominial satisfatória.

Em São Paulo, isso não é diferente. Em todo o estado, estima-se que 50% dos síndicos tenham entre 31 e 49 anos. Essa é uma mudança considerável do perfil, já que 70% dos síndicos tinham mais de 50 anos entre 2010 e 2011.

Desafios e oportunidades dos condomínios de São Paulo

A evolução no setor condominial de São Paulo traz um novo panorama para a área. Ao mesmo tempo em que surgem desafios, aparecem oportunidades na mesma medida. Portanto, é fundamental reconhecer os elementos com a consequência de que eles sejam aproveitados de forma consistente.

Para ter uma visão clara sobre a questão, veja quais são os principais fatores sobre esse tema:

Administração de conflitos

Um dos maiores desafios no mercado de condomínio em São Paulo é garantir uma administração eficiente dos inevitáveis conflitos entre condôminos. Por melhor que seja a performance, não será possível impedir que as disputas e discussões aconteçam. Em geral, os ocasionais problemas com barulhos, uso de espaço comum e com a estrutura são os maiores causadores das discussões.

Para atuar de um jeito eficiente, é preciso que os síndicos e administradores adotem uma postura conciliadora, capaz de agir para a tranquilidade do clima condominial. Essa questão é muito relevante, porque está ligada à satisfação com a moradia, além de com o conforto e com a avaliação positiva da convivência em condomínio.

Inadimplência

Uma das maiores dificuldades de administrar um condomínio em São Paulo é garantir o pagamento em dia das taxas e dos valores exigidos. O atraso ou a falta de pagamento das taxas, inclusive, prejudica a todos os moradores e proprietários do local.

Nos últimos anos, foram criadas regras mais duras para evitar a ocorrência do problema, mas ainda há muito que ser trabalhado.

O síndico precisa ter o apoio do estatuto do condomínio para aplicar as sanções adequadas e deve ter uma boa forma de controle e cobrança para evitar problemas.

Emprego da tecnologia

Um outro desafio é manter o local seguro e protegido, além de torná-lo cada vez mais eficiente. Em compensação, surge como oportunidade o uso de tecnologia como forma de obter efeitos ainda melhores.

É o caso dos que utilizam a portaria virtual para manter um bom controle de entrada e saída, bem como os que montam sistemas completos de segurança condominial. Além disso, há o uso de ferramentas de gestão, como as que fazem registros automáticos de contas e movimentações em busca de compliance.

Para que essa oportunidade seja aproveitada, um condomínio em São Paulo precisará se preocupar em vencer a barreira inicial dos condôminos e obter os recursos necessários para fazer o investimento.

Comunicação e transparência

Para que os condôminos se sintam realmente atendidos e a relação com o síndico seja adequada, um elemento é indispensável: a comunicação. Basicamente, ter uma atuação transparente faz toda a diferença para que os bons resultados possam ser consolidados.

Além de criar canais diversos de comunicação para reconhecer e atender às demandas dos condôminos, é indispensável prestar contas com clareza. Contudo, essa é uma tarefa desafiadora para muitos que realizam a gestão.

Por outro lado, melhorar esses pontos é uma oportunidade de fortalecer a atividade e obter resultados diferenciados.

Profissionalização da atuação

Diante das novas exigências condominiais, é fundamental que um condomínio tenha uma excelente administração. No entanto, é comum esbarrar no desafio sobre a falta de conhecimento da atividade por parte do síndico, por exemplo.

Para transpor o obstáculo, o ideal é pensar na profissionalização de atuação. Administrando o condomínio como uma empresa, a gestão fica robusta e adequada.

O melhor jeito de fazer isso é pensar em realizar mudanças, como a escolha de uma boa administradora de condomínio. Desse modo, é possível obter os melhores efeitos e profissionalizar a gestão.

As vantagens de morar em condomínio em São Paulo

Quem opta por um condomínio em São Paulo aproveita vantagens que não estão disponíveis para os moradores de casas ou prédios comuns, o que tem grande contribuição para o aumento da procura por esse tipo de moradia.

Para entender melhor os benefícios envolvidos nessa escolha, veja quais são os pontos de destaque adiante:

Maior segurança

O problema da violência urbana não é exclusivo da capital paulista. Praticamente todas as grandes cidades sofrem com isso, e é natural que a maior do país esteja entre as mais afetadas.

Com isso, é normal que as famílias se preocupem com o bem-estar e com a proteção ao escolher uma moradia. E um condomínio em São Paulo ajuda exatamente nesse sentido.

Por causa da infraestrutura, como sistema de monitoramento e portaria, há maior proteção dos condôminos. Outras medidas, como o controle de entrada e saída, também evitam que a segurança seja colocada em risco.

Valorização dos imóveis

Por causa do reforço quanto à segurança e da estrutura completa, um imóvel em um condomínio em São Paulo tende a ser mais valorizado. Enquanto as casas são suscetíveis a diversos problemas e não oferecem todos os itens de lazer e praticidade, as unidades condominiais se destacam.

Esse ponto é especialmente oportuno para quem deseja realizar um bom investimento. Ao optar por um imóvel em condomínio, há grandes chances de poder aproveitar uma valorização ampla e que garanta um excelente retorno. Mesmo que o interesse seja estritamente residencial, é uma ótima forma de morar bem.

Integração reforçada com a vizinhança

Ao morar em uma casa, nem sempre é fácil se sentir parte de uma comunidade que compartilha os mesmos interesses e preocupações. Em uma metrópole, encontrar o vizinho ou manter um contato próximo se torna um desafio.

Já em um condomínio, tudo muda. A existência dos espaços de convivência e o compartilhamento de características faz com que haja maior integração com os vizinhos.

Isso favorece o surgimento de novos relacionamentos interpessoais e pode, até, contribuir para a criação de uma rede de apoio.

Aumento da praticidade

São Paulo é uma cidade com mais de 12 milhões de habitantes e que, por isso, encara engarrafamentos quilométricos em muitos dias da semana. Ir de um ponto a outro não é tão fácil na maior parte do tempo, o que gera grande dificuldade para os seus moradores.

Ao viver em um condomínio com boa estrutura, o problema é parcialmente resolvido. Há espaço de lazer e entretenimento e até boas oportunidades comerciais em certas opções. Isso permite que muitas coisas sejam realizadas sem sair do condomínio.

Assim, há grande praticidade e conveniência, que são fatores que levam a uma desejada economia de tempo.

Melhor qualidade de vida

Morar em condomínio em São Paulo é uma escolha que pode gerar ótimos efeitos na qualidade de vida. Com maior tranquilidade, as famílias com crianças têm a certeza de que elas poderão brincar e se divertir sem ter que se preocupar com a segurança e com o caos de uma cidade grande.

A praticidade, como visto, gera economia de tempo, evita deslocamentos intensos e melhora o aproveitamento do espaço e das horas. Para completar, ter uma estrutura completa que visa facilitar o cotidiano faz toda a diferença para obter ótimos efeitos.

Como consequência, a experiência de moradia é muito favorecida e vantajosa, e a qualidade de vida dispara.

As vantagens de contar com uma administradora de condomínios

Como visto, um condomínio em São Paulo traz muitos desafios, oportunidades e vantagens. Morar em um lugar como esse é bastante atraente, mas, ao se tornar síndico, os problemas são mais perceptíveis.

Dar conta de todas as tarefas é exaustivo quando não há apoio e orientação. Para contornar a questão, o melhor é contar com uma administradora de condomínios. O empreendimento é especializado na tarefa e pode oferecer benefícios importantes. Entre os principais motivos para a parceria, estão:

Atuação robusta e altamente qualificada

Um empreendimento do tipo é formado por profissionais especializados em cuidar de condomínios de diversos portes e com necessidades distintas. Além disso, a atuação conta com as ferramentas necessárias para que tudo seja executado corretamente.

Como resultado, uma administradora consegue agir de um jeito amplamente qualificado e capaz de resolver os principais problemas. A empresa poderá cuidar da gestão de pessoas, da parte burocrática e assim por diante. Eventualmente, isso diferencia o condomínio em São Paulo dos demais.

Melhoria na gestão das finanças

Uma área que merece destaque especial é a financeira. Graças a um negócio como esse, o controle e o gerenciamento das finanças ficam mais benfeitos. As contas a pagar e a receber, por exemplo, são administradas com muita robustez.

Na hora de realizar obras, fazer manutenções ou contratar novos funcionários, tudo é devidamente acompanhado. Como consequência, há dois resultados principais: o primeiro é que a prestação de contas é facilitada e transparente, e os condôminos ficam, então, mais satisfeitos com o processo; já o segundo é a redução dos gastos.

Graças ao acompanhamento, é possível identificar e prevenir desperdícios, de modo a garantir um fundo de caixa melhor para o condomínio.

Facilitação no trabalho do síndico

Atuar como síndico é uma tarefa bastante complexa e que existem cuidados de relacionamento, gerenciamento e estratégia. Não ter ajuda, como visto, complica tudo ainda mais e aumenta os riscos de ocorrerem erros.

Já com a administradora, há um apoio profissional indispensável para obter bons resultados. Partes burocráticas ou repetitivas, por exemplo, são facilmente solucionadas e abrem espaço para uma abordagem direcionada do síndico. Assim, é algo que contribui para diminuir a dificuldade de atuação.

Maior segurança legal para o condomínio

Um dos problemas de cometer erros na gestão é que isso pode trazer diversos impactos negativos, inclusive no âmbito legal. A falta de controle das finanças, por exemplo, pode prejudicar o pagamento de impostos. Nesse caso, o condomínio terá dificuldades legais.

Da mesma forma, a falta de controle de inadimplência pode levar à necessidade de ajuizar ações, o que aumenta os custos legais e as dificuldades de representação. Tudo isso dificulta a operação e gera gastos e possíveis impasses.

Já com a administradora, há a garantia de que tudo será executado conforme manda a lei, de modo a obter melhores efeitos.

Aproveitamento adequado de oportunidades

O fato é que ter o auxílio de uma empresa especializada em administrar ajuda o condomínio em diversas frentes. Há maior economia de dinheiro e de tempo, assim como uma gestão adequada em diversos sentidos.

Isso leva a um melhor uso dos recursos, o que favorece o aproveitamento de oportunidades diversas. Graças a essa atuação, o condomínio se prepara para se tornar eficiente, econômico e agradável, sem comprometer a segurança ou a qualidade de moradia.

Assim, os condôminos ficarão muito mais satisfeitos e os resultados serão otimizados, inclusive do ponto de vista dos síndicos.

 

O mercado de condomínio em São Paulo é robusto e está em crescimento. Diante de tantos benefícios de residir nesses locais, a tendência é que o número de moradores continue a aumentar. Para os síndicos, ter o apoio de uma administradora é fundamental para obter grandes efeitos!

Se quiser ficar sempre por dentro das novidades do mercado imobiliário, assine nossa newsletter e receba o nosso conteúdo em primeira mão!