Ao contratar uma administradora de condomínios, ninguém espera passar por fraudes ou golpes. No entanto, saiba que, infelizmente, eventos como esses são mais comuns do que possam parecer.

Síndicos e condôminos estão sujeitos a passarem por casos de roubo e ocultação de ganhos ilícitos por parte de uma administração fraudulenta. E, além de ter de enfrentar essa situação desagradável, os moradores podem ter grandes prejuízos em seus prédios.

Para alertar os síndicos e moradores, e evitar que isso aconteça com você, é importante conhecer os casos de fraudes mais comuns. Também vamos explicar como a certificação da norma ISO 37001 tem papel fundamental no combate desse cenário de corrupção.

Entenda os casos fraudulentos de administração de condomínios

Desvio nas contas

Existem várias formas de desviar o dinheiro do condomínio, como não lançar receitas ou não dar entrada de recebimentos no caixa do prédio, o que revela falta de transparência e possíveis assaltos nas contas condominiais.

Uma administradora incorreta ainda pode:

  • Realizar saques sem comprovação;
  • Contratar serviços desnecessários;
  • Superfaturar notas fiscais;
  • Fazer cobranças excessivas;
  • Desviar materiais do condomínio.

Cobranças de contas indevidas

Também é comum que síndicos e condôminos recebam cobranças indevidas e, sem saber, acabam pagando contas de serviços não prestados e/ou aquisições que não existem. Nesses casos, a administradora pode estar realizando transferências da conta do condomínio para a sua, recebendo, assim, ganhos ilícitos.

Falsificação de documentos

Outro tipo de fraude comum é a falsificação de documentos, como:

  • Extratos e comprovantes de despesas falsos;
  • Notas fiscais frias;
  • Recibos de empregados-fantasmas;
  • Cópias de cheques.

Esses e outros tipos de falsificação servem para acobertar desvios nas contas e apropriação indébita de recursos.

Atos de suborno e corrupção

Outro tipo de fraude recorrente é o pagamento de propinas no ato da compra de bens ou da tomada de serviços. Trata-se de uma prática ilegal recorrente entre as administradoras de condomínios e as empresas fornecedoras.

Nesse sentido, as administradoras podem estar envolvidas em atos de suborno, que se configuram como o recebimento de qualquer tipo de benesse, presentes, comissões ilegais ou outros tipos de privilégios.

Como a certificação ISO 37001 pode oferecer um cenário melhor?

Atualmente, a ocorrência de atos ilegais, como suborno e de fraudes, já não é mais aceita pela sociedade, havendo uma crescente conscientização da população pela necessidade de combater tais práticas.

No âmbito condominial, isso não é diferente. Síndicos e condôminos devem estar cada vez mais alertas para a necessidade de contratar uma administradora com conduta ética, transparente e, claro, competente.

Diante desse cenário, a norma ISO 37001 assume um papel importante em prol das práticas antissuborno, sendo fundamental para a construção de um mercado mais honesto, eficiente e livre de corrupção.

Uma vez que uma empresa recebe a certificação ISO 37001, isso mostra que ela está comprometida no que se refere à conduta ético-legal e com uma política de gestão de qualidade. Assim, a norma também serve de garantia para que os clientes saibam que a empresa está em conformidade com todos os critérios da política antissuborno.

Para ganhar e manter a certificação é preciso seguir em sua totalidade uma série de requisitos e boas práticas, pautados em rigorosos padrões internacionais e determinados pela norma ABNT NBR ISO 37001 juntamente com a empresa.

Além de seguir condutas éticas, a empresa certificada também se compromete a combater, ao máximo possível, as práticas de suborno, seja no âmbito organizacional, fora dela e em toda e qualquer relação que envolva a empresa.

Nesse sentido, uma organização com a certificação ISO 37001 pode oferecer um cenário melhor para todos os envolvidos:

  • Para os clientes, que se asseguram da qualidade dos serviços tomados;
  • Para a própria empresa, que se compromete em adotar uma política antissuborno e se torna referência em idoneidade;
  • Para o mercado como um todo, que é positivamente influenciado por empresas comprometidas com a ética e a transparência, contribuindo para a construção de um mercado mais justo.

—–

Como você viu, são diversas maneiras pelas quais um condomínio pode ser lesado financeiramente por uma administradora com uma postura não ética – com alguns exemplos já reportados na mídia, como o caso de um rombo de R$300 mil no Distrito Federal e o caso do desvio de R$1.7 milhão em Caraguatatuba, litoral de São Paulo. Mas há mecanismos eficazes que ajudam a garantir a proteção contra situações dessa natureza. É o caso da certificação ISO 37001, que estabelece um padrão rigoroso de controle e transparência, ajudando a impedir e diminuir os casos de fraude na gestão condominial.

Por isso, se você é síndico ou condômino, não deixe de procurar uma administradora de condomínios certificada pela norma ISO 37001, como a Robotton — pioneira na obtenção deste certificado e referência em gestão condominial. Garanta mais tranquilidade e tenha a certeza da qualidade dos serviços contratados!